QUEM SOMOS

Sou Vivian Machado, Comunicóloga (Publicitária), com MBA em Marketing esportivo, roteirista, graduanda em Psicologia e ativista de saúde mental da população LGBT+ (em especial, na temática do luto).

 

Atualmente, me dedico ao tema do luto de pessoas LGBT+ e, nesse intuito, desenvolvi este site, considerando minha trajetória de conversas despretensiosas com enlutados por conta de meus projetos audiovisuais e também por meio de um projeto pessoal chamado E-COM (Escuta Compassiva - LGBT).

 

Sobre projetos audiovisuais: sou roteirista na temática LGBT+. Um desses projetos é uma websérie chamada RED. A cada lançamento de temporada da websérie, da qual sou co-criadora e roteirista, eu recebia mensagens de fãs da série. Essas mensagens, em sua maioria, eram de agradecimento por oferecermos a história que nos propusemos a contar. Em alguns momentos, deparei-me com depoimentos espontâneos que deflagravam a não-aceitação de existências LGBT+ por membros da familia; depoimentos esses que ancoravam esperanças, mínimas que fossem, em encontrar alento nas histórias que são contadas em séries, livros, filmes etc. Havia o entendimento de que era possível buscar aceitação nos pares (leia-se: em pessoas que compartilhavam do mesmo sentimento de uma existência tida como ilegítima).

 

Fui entendendo que algumas dessas pessoas poderiam estar vivendo o que chamo de luto vivo, qual seja: o luto pela perda do amor da família em decorrência da não-aceitação da orientação sexual. Essas pessoas não se davam conta de que estavam vivendo um luto.

 

A partir disso, comecei a questionar quantos espaços - exclusivos da comunidade - para falar sobre o luto havia em nosso país. Pesquisei quantos sites traziam a temática do Luto LGBT, quantos debates estavam sendo realizados sobre isso, e me deparei com o seguinte entendimento: ninguém está falando sobre o luto LGBT nos veículos de comunicação, nem a própria comunidade. Diante dessa constatação, decidi assumir essa frente. Decidi reverberar o tema, não apenas pelo discurso, mas também pela ação, principalmente pela arte.

Além da arte e de estudos sobre tema enquanto graduanda em Psicologia e ativista LGBT+, sou idealizadora e coordenadora de um grupo de apoio ao luto LGBT+, realizado pela Fundação Elisabeth Kübler-Ross Brasil. O projeto do grupo leva o legado da Dra. Elisabeth Kübler-Ross em seus encontros, sobretudo o entendimento de amor incondicional. 

 

Maiores informações sobre o grupo de apoio podem ser encontradas na página oficial do projeto pela Fundação EKR (www.ekrbrasil.com), incluindo o formulário de inscrição (disponível para pessoas LGBT+ acima de 18 anos que estejam vivendo um luto atravessado diretamente pela condição de ser LGBT+).